12 de dezembro de 2011

Nossa Árvore de Natal

Sexta-feira foi o grande dia da nossa já tradicional (pelo 2º ano consecutivo) compra do pinheiro de Natal. Eu me arrisco a dizer que praticamente todos os habitantes de Aruba compram pinheiros, eu nunca conheci ninguém que tivesse árvore artificial em casa.

Ao contrário do que muita gente pensa, o consumo de árvores naturais é bem mais ecológico que o de artificiais. As razões são: no fabrico de árvores articiais são liberados poluentes cancerígenos. Além disso, elas são feitas à base de policloroeteno, uma substância derivada de combustíveis fósseis e não passível de reciclagem. E ninguém usa a mesma árvore artificial a vida toda, certo? Normalmente elas duram de 2 a 3 natais e depois são deixadas de lado. Já as árvores naturais para começar tem um cheiro delicioso e são cultivadas especialmente para esse fim. São totalmente biodegradáveis e, se forem compradas com raiz, podem ser plantadas de novo. Infelizmente aqui em Aruba, não existem à venda pinheiros com raiz, mas eu sei que, em São Paulo, por exemplo é possível encontrar pinheiros assim. Claro que o mais ecológico mesmo seria não comprar nada e fazer uma árvore com material reciclado. Mas como eu não estou nesse estágio de evolução ainda, eu me contento com meu pinherinho cheiroso.

Agora vamos à tradição local. No fim de novembro, começam a aparecer tendas montadas em lugares diversos: estacionamentos de supermercados, postos de gasolina, etc. E nessas tendas, você encontra os diversos tamanhos de árvore expostos com o preço. Você escolhe um tamanho e eles buscam uma árvore toda enroladinha numa rede. Eles abrem a árvore para que você veja se está satisfeita com a folhagem e a aparência geral e se tudo der certo, eles enrolam a árvore com a rede de novo para que ela seja levada para casa.

Tenda de venda de pinheiros e artigos de Natal
Árvores em exposição

Desde a semana passada já estávamos pesquisando o preço e dando uma olhada na qualidade das árvores de vários lugares. Foi então que a minha super experiente concunhada me deu a dica de qual era o último lugar a receber árvores. Pausa para explicação: quando se vive numa ilha tão pequena, é preciso acostumar-se à questão do abastecimento. Quase tudo vem de fora, então saber a data da chegada do contêiner de um produto específico é uma informação valiosa. E saber a data da chegada do último contêiner de pinheiros garante que aquele seja o produto mais fresco, o que significa que a árvore vai durar mais sem começar a perder suas folhas. Ano passado, na época do Natal, a nossa árvore já estava toda marrom, em vez de verde, e eu tinha que varrer a sala duas vezes por dia para limpar as folhas.

Então, ciente de que o lugar com as árvores mais frescas tinha recebido seu produto, fomos lá para a compra. A nossa casa tem o pé direito baixo, então eu tinha em mente que queria uma árvore não muito mais alta que eu. Olhei essa árvore com a etiqueta redonda das foto acima e pedi para o rapaz da loja: uma árvore C3, de 125 florins (uns 110 reais). E quando ele voltou, eu tive a impressão de que a árvore era maior do que a que eu tinha pedido, mas achei que era impressão. Na hora de pagar, ele foi fazer a notinha e me veio com um papel de 180 florins. Eu falei: está errado, a etiqueta da árvore põe 125. Ele disse: mas eu trouxe um modelo maior. Eu disse: então dá pra buscar outra, do modelo que eu pedi? Então, acho que por pura preguiça, ele escreveu outra notinha com o preço de 125. E lá fui eu para casa com uma árvore que eu não tinha certeza que ia caber.

Decorações para todos os gostos

Nossa árvore sendo preparada para o transporte

A árvore tocou o teto, mas coube
Filhota exultante com a perspectiva de horas de entretenimento

Ano passado, nós tínhamos mudado fazia pouco tempo para Aruba e como tivemos que comprar todos os eletrodomésticos (grandes e pequenos) de novo por causa da incompatibilidade de voltagem entre Europa (220v) e Aruba(110v), além de um carro, não tínhamos quase dinheiro para decoração de Natal. Foi então que minha sogra nos presenteou com uma árvore pequenininha (metade da desse ano) e bolas que sobraram de mais de 40 anos de natais celebrados, além de luzes pisca-pisca. A filhota adorou as bolas e enfeites desconjuntados, alguns deles únicos e todos certamente com uma história. Por isso, esse ano, para complementar as nossas decorações natalinas variadas, eu comprei uns enfeites extras, todos coloridos e diversificados. A nossa árvore pode não ter um tema (muita gente pergunta: com que cores você vai decorar a árvore esse ano?), mas tem um aspecto alegre e jovial ;).

Nosso primeiro presépio ganhado sete anos atrás, quando nos casamos
Quando crianças ajudam, algumas parte da árvore acabam recebendo mais atenção
Colorida e diversificada

2 de dezembro de 2011

Casas e apartamentos

Muitos brasileiros não sabem, mas existem outras formas de hospedagem em Aruba além do hotel oferecido no pacote da operadora de turismo. Dá um pouco mais de trabalho e não é tão simples quanto chegar ao aeroporto e buscar a plaquinha da pessoa que vai te levar para o hotel, sem preocupações. Mas, se você é como eu, que não se importa em buscar ofertas pela internet, pesquisar recomendações de outras pessoas que já se hospedaram antes, alugar um carro para ter a liberdade de fazer os passeios que quiser, na hora que quiser, esse post é para você.

Uma forma de hospedagem pouco conhecida e bem mais em conta são os chamados "apartamentos". A noção de apartamento é bem diferente do que temos no Brasil. Não significa que o apartamento vai estar num prédio ou que você vai ter subir escadas, por exemplo. Os apartamentos são como um quarto e sala, com uma cozinha pequena, mas equipada. Seria como um quarto de hotel, num lugar que não é exatamente um hotel. A estrutura básica de um apartamento é: um quarto com uma cama de casal grande, normalmente king size, uma cozinha pequena, com geladeira grande e equipamentos básicos, tipo microondas, liquidificador, panelas e fogão sem forno e uma saleta, com um sofá cama, o que significa que os apartamentos normalmente comportam umas 4 pessoas confortavelmente. Existem apartamentos com 2 quartos também. Dentro dessa categoria de apartamento, existe uma variedade muito grande. Existem os perto da praia com wi-fi, estacionamento, piscina e serviço de limpeza e existem os construídos nas casas de locais, que pode ser em qualquer bairro, porque muita gente consegue um dinheirinho extra construindo apartamentos nos fundos de sua casa. A variação de preço também é grande e vai de acordo com a temporada. Na alta temporada, o preço pode variar de uns $70 a uns $140 por dia. Na baixa temporada, é possível encontrar quartos a partir de $40 a diária.

A alta temporada em Aruba é exatamente agora, os meses de dezembro até abril, que são o equivalente do inverno americano. É na atual temporada que os hotéis lotam, com as pessoas fugindo do inverno do hemisfério norte. E também é agora que todos os navios cruzeiro excursionam pelo Caribe. Ontem mesmo, eu notei nada mais nada menos que quatro navios gigantescos atracados no porto.

Outra forma de hospedagem, essa mais recomendada para famílias grandes ou grupos grandes são as casas de veraneio, chamadas de villas ou condos. Essas casas costumam variar entre luxuosas e muito luxuosas e normalmente tem entre 3 e 6 quartos. O preço também é bem mais alto, por isso só valem a pena quando grupo é grande. O aluguel costuma ser semanal, a partir de uns $1.300 por semana e normalmente os que alugam especificam qual o número máximo de pessoas eles aceitam na casa. Muitas dessas casas contam com um serviço de limpeza, pago à parte.

Tem gente que tem medo de optar por esse tipo de hospedagem, mas a verdade é que é um sistema bastante seguro e a transação costuma ser super profissional. Vou passar um link do tripadvisor com muitíssimas opções de hospedagem que não são hotéis para que aqueles que pensam em vir por uma temporada mais longa, gastando bem menos do que vocês imaginam.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...