12 de dezembro de 2011

Nossa Árvore de Natal

Sexta-feira foi o grande dia da nossa já tradicional (pelo 2º ano consecutivo) compra do pinheiro de Natal. Eu me arrisco a dizer que praticamente todos os habitantes de Aruba compram pinheiros, eu nunca conheci ninguém que tivesse árvore artificial em casa.

Ao contrário do que muita gente pensa, o consumo de árvores naturais é bem mais ecológico que o de artificiais. As razões são: no fabrico de árvores articiais são liberados poluentes cancerígenos. Além disso, elas são feitas à base de policloroeteno, uma substância derivada de combustíveis fósseis e não passível de reciclagem. E ninguém usa a mesma árvore artificial a vida toda, certo? Normalmente elas duram de 2 a 3 natais e depois são deixadas de lado. Já as árvores naturais para começar tem um cheiro delicioso e são cultivadas especialmente para esse fim. São totalmente biodegradáveis e, se forem compradas com raiz, podem ser plantadas de novo. Infelizmente aqui em Aruba, não existem à venda pinheiros com raiz, mas eu sei que, em São Paulo, por exemplo é possível encontrar pinheiros assim. Claro que o mais ecológico mesmo seria não comprar nada e fazer uma árvore com material reciclado. Mas como eu não estou nesse estágio de evolução ainda, eu me contento com meu pinherinho cheiroso.

Agora vamos à tradição local. No fim de novembro, começam a aparecer tendas montadas em lugares diversos: estacionamentos de supermercados, postos de gasolina, etc. E nessas tendas, você encontra os diversos tamanhos de árvore expostos com o preço. Você escolhe um tamanho e eles buscam uma árvore toda enroladinha numa rede. Eles abrem a árvore para que você veja se está satisfeita com a folhagem e a aparência geral e se tudo der certo, eles enrolam a árvore com a rede de novo para que ela seja levada para casa.

Tenda de venda de pinheiros e artigos de Natal
Árvores em exposição

Desde a semana passada já estávamos pesquisando o preço e dando uma olhada na qualidade das árvores de vários lugares. Foi então que a minha super experiente concunhada me deu a dica de qual era o último lugar a receber árvores. Pausa para explicação: quando se vive numa ilha tão pequena, é preciso acostumar-se à questão do abastecimento. Quase tudo vem de fora, então saber a data da chegada do contêiner de um produto específico é uma informação valiosa. E saber a data da chegada do último contêiner de pinheiros garante que aquele seja o produto mais fresco, o que significa que a árvore vai durar mais sem começar a perder suas folhas. Ano passado, na época do Natal, a nossa árvore já estava toda marrom, em vez de verde, e eu tinha que varrer a sala duas vezes por dia para limpar as folhas.

Então, ciente de que o lugar com as árvores mais frescas tinha recebido seu produto, fomos lá para a compra. A nossa casa tem o pé direito baixo, então eu tinha em mente que queria uma árvore não muito mais alta que eu. Olhei essa árvore com a etiqueta redonda das foto acima e pedi para o rapaz da loja: uma árvore C3, de 125 florins (uns 110 reais). E quando ele voltou, eu tive a impressão de que a árvore era maior do que a que eu tinha pedido, mas achei que era impressão. Na hora de pagar, ele foi fazer a notinha e me veio com um papel de 180 florins. Eu falei: está errado, a etiqueta da árvore põe 125. Ele disse: mas eu trouxe um modelo maior. Eu disse: então dá pra buscar outra, do modelo que eu pedi? Então, acho que por pura preguiça, ele escreveu outra notinha com o preço de 125. E lá fui eu para casa com uma árvore que eu não tinha certeza que ia caber.

Decorações para todos os gostos

Nossa árvore sendo preparada para o transporte

A árvore tocou o teto, mas coube
Filhota exultante com a perspectiva de horas de entretenimento

Ano passado, nós tínhamos mudado fazia pouco tempo para Aruba e como tivemos que comprar todos os eletrodomésticos (grandes e pequenos) de novo por causa da incompatibilidade de voltagem entre Europa (220v) e Aruba(110v), além de um carro, não tínhamos quase dinheiro para decoração de Natal. Foi então que minha sogra nos presenteou com uma árvore pequenininha (metade da desse ano) e bolas que sobraram de mais de 40 anos de natais celebrados, além de luzes pisca-pisca. A filhota adorou as bolas e enfeites desconjuntados, alguns deles únicos e todos certamente com uma história. Por isso, esse ano, para complementar as nossas decorações natalinas variadas, eu comprei uns enfeites extras, todos coloridos e diversificados. A nossa árvore pode não ter um tema (muita gente pergunta: com que cores você vai decorar a árvore esse ano?), mas tem um aspecto alegre e jovial ;).

Nosso primeiro presépio ganhado sete anos atrás, quando nos casamos
Quando crianças ajudam, algumas parte da árvore acabam recebendo mais atenção
Colorida e diversificada

6 comentários:

  1. Flávia Hill Rezende13 de dezembro de 2011 13:38

    tem alguma chave de carro, como ano passado? :P

    ResponderExcluir
  2. Não, mas cada hora aparece uma coisa: um brinquedo, um desenho, etc. :p

    ResponderExcluir
  3. Linda a árvore! e é assim mesmo, as crianças que escolhem a decoração e tudo mais...Davi ainda está mudando algumas coisas de lugar, quer o pisca de um jeito que eu considero super sem graça, e vive cheio de purpurina no rosto de ficar tocando os enfeites e fitas... mas a alegria deles é que dá mais colorido às árvores de Natal (e as nossas vidas)! Bjus

    ResponderExcluir
  4. A Diana também, Fabíola! Desde a sexta que ela não pára de brilhar, cheia de purpurina :D.

    ResponderExcluir
  5. Linda a árvore!!! Aqui em casa aconteceu o mesmo, eles amontoavam enfeites em um lado. Rs

    ResponderExcluir
  6. Árvore de natal é uma coisa que deixa criança doidinha, né Val? Hoje vários enfeites da parte de baixo da árvore sumiram misteriosamente. Fui encontrá-los dentro da mochila da Diana quando ela voltou da escola. Eles tinham dado uma passeada. ;)

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...